No boteco

A maiêutica e a aranha

O filósofo grego Sócrates resolveu fazer uma homenagem à sua mãe, que era parteira, e passou a chamar o seu método filosófico de maiêutica, que quer dizer, a arte de dar à luz. É que para ele o conhecimento é algo que vem de dentro, que se tece nas vísceras, que é feito de sangue e suor (… e cerveja). Por isso que conhecimento não se confunde com informação. Vivemos na era da informação; mas ter informação não é a mesma coisa que ter conhecimento. A informação vem de fora pra dentro, muitas vezes já pronta, sedutora, mas cheia de perigos. Já o conhecimento surge de dentro pra fora; requer todo um trabalho de gestação e, finalmente, a dor e o prazer do parto (pelo menos é o que dizem algumas mães). Em todo caso, o conhecimento é singular. Ninguém ensina ninguém, pois aprender é construir um conhecimento a partir de si mesmo. Não, não se trata de uma auto-suficiência ou de um isolamento dos outros. A maiêutica socrática se construía na troca, no diálogo. Afinal, ninguém faz um filho sozinho (ainda bem!). Mas a experiência de gerir o conhecimento é única e singular.

Assim como a aranha tece seus fios e forma a teia que a sustenta, assim tecemos nossos pensamentos que sustentam, orientam e potencializam a nossa existência.

Márcio Sales

Anúncios

16/08/2011 Posted by | Uncategorized | 5 Comentários