No boteco

A vida em modo beta

 

Entramos no mundo virtual e mergulhamos num universo de inovações que não cessam de se produzir. Inovações tecnológicas, mas também, e principalmente, nos modos de viver. Podemos dizer que nossas vidas já não são mais as mesmas depois do advento da internet. Nossa relação com o tempo e com o espaço é outra; o acesso e uso das informações se alteraram e se alteram por completo; os relacionamentos inteiramente modificados; lazer, trabalho, estudos e negócios, tudo passa pela infovia. A velocidade nos arrasta e exige de nós um jogo de cintura cada vez mais flexível. Precisamos de um novo aprendizado: aprender o modo beta de viver.

modo beta

O modo beta indica que um programa não está pronto, mas em processo de construção; isto é, em fase de testes, ainda em amadurecimento. Sendo assim, não se deve confiar muito nele devido a sua instabilidade. Acontece que se torna cada vez mais comum os sistemas entrarem em um modo beta perpétuo. Quer dizer: o processo de construção nunca termina. Com isto evita-se de se criar a expectativa de um acabamento perfeito, de uma segurança absoluta, de uma programação definitiva. O modo beta sugere a fragilidade do que está sendo apresentado, seu caráter experimental e sua possibilidade permanente de ajustes e mudanças. Um site em modo beta quer dizer que ele está em preparo, está sendo ensaiado, portanto, em processo permanente de construção.

No entanto, o que pode parecer fraqueza na verdade indica qualidade. Se o modo beta, por um lado, aponta para a vulnerabilidade do sistema, indicando que ele pode conter falhas, imprecisões, uma vez que ainda está em teste (em manutenção), por outro lado, afirma a necessidade de aperfeiçoamento, de que nada é definitivo e que sempre é possível melhorar. O modo beta é o processo de criação permanente e aberto. Assumi-lo é reconhecer que este processo não tem fim; que nada nunca ficará pronto, pois sempre haverá algo a acrescentar e a modificar.

Por isso que o termo “em manutenção” é mais sugestivo que “em construção”. Em construção que dizer que se partiu do zero, do vazio, que não há nada ainda funcionando bem, que não há nada que possa ser apresentado e utilizado. Já em manutenção indica que teve um início, já se concretizou, mas está em desenvolvimento, em fase de aperfeiçoamento, em busca de melhorias. O modo beta é mais comparado com um processo pedagógico, que não tem fim, do que com uma obra de engenharia que, uma vez apertado o último parafuso, a obra terminou.

No modo beta sabe-se que o erro vai aparecer; mas ele faz parte do processo. E ao invés de provocar abalos e rejeições convida para a possibilidade de um aprendizado compartilhado e uma busca de saídas criativas. E quando o erro é incontornável, não tem problema. Afinal, era apenas um ensaio. Constrói-se outro modo beta em seu lugar. Se não houve expectativa de perfeição não haverá sentimento de perda; mas apenas a motivação para recomeçar.

márcio sales

Anúncios

03/11/2009 - Posted by | Uncategorized

3 Comentários »

  1. Sempre construindo ideias (filosofando).
    Até a próxima aula 09/03/2010.

    Comentário por Herika | 09/03/2010 | Responder

  2. O seu texto me conforta, porque me conscientizo na medida que os meus erros fazem parte da minha construção como ser humano e então não fico me martirizando por errar.

    Comentário por Elisângela Costa Fareli | 19/03/2010 | Responder

  3. Este texto é um mantra da Nova Era. Sempre uso ele em minhas palestras.

    Comentário por Beia Carvalho | 06/11/2010 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: