No boteco

“Navegar é preciso, viver não é preciso”

Os navegadores portugueses assimilaram a grandeza desta expressão na marra. Ávidos pelo novo e pelas suas riquezas fizeram-se senhores dos oceanos. Quantas viagens perdidas para se chegar à conclusão de que navegar exige precisão? Calcular a distância a ser percorrida, o tempo e os alimentos necessários, a direção do vento, a potência das velas, a quantidade de tripulação, tudo isso era indispensável para se chegar onde queria.

barcovela

Mas ainda que tudo estivesse planejado, calculado, devidamente ajustado, ainda restava outra certeza: viver não é preciso. Se a arte da navegação requer precisão, a arte de viver é diferente. A vida é cheia de imprevistos, circunstâncias inesperadas, casos fortuitos. Viver é uma bruta incerteza em que nada garante o dia de amanhã. Viver é um lance de dados.

O passado não nos pertence mais, o futuro ainda não chegou; só nos resta o presente. A única maneira de interferir na própria existência é no aqui e agora. O hoje é o terreno da vida a ser cultivado.

Anúncios

29/04/2009 - Posted by | Uncategorized

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: